6 de set de 2014

Assassinos do Cartão Postal, de James Patterson & Liza Marklund (Resenha)


Nome: Assassinos do Cartão Postal
Autor: James Pattersson & Liza Marklund
Editora: Arqueiro
Sinopse: Jacob Kanon, um detetive da divisão de homicídios do Departamento de Polícia de Nova York, está muito longe de casa. Em sua longa viagem, já conheceu as mais belas cidades da Europa. No entanto, não é a paisagem que o atrai. Para ele, cada café, catedral ou museu é uma pista dos assassinos de sua filha.
A filha de Jacob, Kimmy, é apenas uma peça de um doentio e intricado quebra-cabeças. Amsterdã, Copenhague, Madri, Paris... Em toda a Europa, jovens casais são encontrados mortos com a garganta cortada. Os assassinatos não parecem ter qualquer conexão, além de cartões-postais enviados para os jornais locais dias antes da descoberta de cada crime.
Numa tentativa de salvar as próximas vítimas, Jacob vai se unir à jornalista Dessie Larsson, que acaba de receber um cartão-postal em Estocolmo. O que eles não imaginam é que os crimes têm um propósito bem diferente do que pensavam.
Faz quase 1 ano que eu não leio um romance policial, e o que é melhor voltar a ler esse gênero senão com um livro dos melhores autores da atualidade (na opinião de muitas pessoas)?


Assassinos do Cartão Postal é uma história que se passa na Europa e começa de um modo diferente, pois logo no epílogo conhecemos os assassinos, Mac e Sylvia Rudolph, e como eles agem.

Nos primeiros capítulos também conhecemos Jacob Kanon, um policial nova iorquino que está caçando os Rudolph por todo o Velho Mundo por causa que sua filha, Kimmy, foi uma das vitimas de tais serial killers. Em seguida, também conhecemos Dessie Larsson, uma jornalista comum de Estocolmo e que em um dia de trabalho, recebe um cartão postal, relacionando Dessie aos assassinos e, consequentemente, a Jacob.


E é então que uma real investigação começa. Ok, o melhor termo para descrever o que acontecerá é caçada.


De inicio, Dessie se recusa a participar de tal caçada, querendo deixar o trabalho para a polícia da Suécia e preservar sua imagem na comunidade de jornalistas. Entretanto, Jacob não sossega quanto a jovem não começa a ajuda-lo na perseguição dos assassinos de sua filha.

Enquanto isso, Sylvia e Mac continuam praticando os assassinatos, que sempre têm o mesmo modo de ocorrer - os Rudolph escolhe como vitimas jovens casais que viajam sozinhos em algum museu da cidade -, acreditam que nunca serão descobertos pela polícia e começam a relaxar em relação ao modo de como agem, principalmente, no quesito de não deixar rastros.

E o que resta para os restos das páginas? 

O desenvolvimento das personagens, principalmente, de Jacob, que tenta superar a perda da filha, e de Sylvia e Mac, que tem motivos bastante estranhos para cometer tantos assassinatos e mandar a foto dos delitos em um cartão postal para algum jornal local.

Um livro que mesmo tendo um desenvolvimento do mistério relativamente rápido, com um bombardeio de informações somente nas últimas páginas, prende a sua atenção e atiça sua curiosidade do começo ao fim.

Assassinos do Cartão Postal foi o primeiro livro de Patterson que eu li e lerei outras obras dele com certeza.

2 comentários:

  1. Oie, tudo bem?

    Nunca li nada do James Patterson, mas muita gente fala bem dos livros policiais dele. Espero que seja tão bom quanto os do Harlan Coben!
    Adorei a resenha

    Beijos
    Marlon - http://viva1livro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Carol,
    Eu i esse livro rapidinho, uma das coisas que gosto em James é a fluidez dos capítulos curtos, entretanto achei um livro um tanto quanto superficial. Não me senti tensa e nem presa ao livro. Uma pena.
    Ah, e não gostei da motivação dos assassinos também!
    Beijos
    Chrys Audi
    http://todaaliteraturadomundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe um comentário e faça um blogueiro feliz!